>

SÃO PAULO – O Facebook tem sido usado para aumentar as vendas de pequenos comerciantes, artistas e grandes empresas.
A companhia aérea Azul: promoções exclusivas para a rede social
Para as três sócias da loja Drie, o Facebook é o canal de vendas mais importante. “Vendemos para amigos, amigos de amigos, que acompanham a coleção pelo álbum de fotos. Temos clientes que compram peças toda semana”, diz Mariana Oliveira, uma das proprietárias.
A empresa de venda de bijuterias, semijóias e roupas fica em Alphaville (SP) e não tem loja física – na fan page, juntou mais de 1500 contatos. “Quando alguém comenta sobre a peça, todos querem comprar, é incrível”, diz. Segundo Mariana, o Facebook muitas vezes funciona como um primeiro contato, pois a venda é realizada por mensageiro instantâneo (MSN), e-mail ou até pessoalmente.
Consultora da empresa de cosméticos Natura há seis meses, Elaine Arnold, de 34 anos, também usa o Facebook para incrementar suas vendas. “Comecei a usar o Facebook para divulgar as promoções de Natal e tive um bom retorno. É uma ferramenta que dá uma boa visibilidade”,conta. Elaine publica no Facebook fotos e vídeos dos produtos. “O Facebook é apenas um contato inicial, pois eu gosto de encontrar o cliente pessoalmente”, diz.
Divulgação de livro
O Facebook nunca atraiu o escritor Humberto Werneck, mas após insistentes pedidos dos amigos, ele resolveu aderir ao serviço. “Imaginei que seria um bom canal para divulgar meu livro. E devo admitir que o esquema funcionou muito bem”, diz. Em agosto, Werneck lançou o título “O Espalhador de passarinhos e outras crônicas”. Ele torce o nariz para posts que falam do cotidiano das pessoas. Prefere publicar, eventualmente, um trecho de um texto que está lendo. “É despretensioso, mas gosto de ler o comentário, saber que outra pessoa gostou daquilo.”
Anúncios