Os credores da japonesa Olympus exigirão na semana que vem explicações sobre o escândalo contábil que está abalando a companhia, informou uma fonte bancária na sexta-feira, ainda que tenha negado que devam solicitar mais garantias para seus empréstimos.
 

O primeiro-ministro Yokihiro Noda também interferiu, descrevendo a situação e apelando por medidas severas para preservar a confiança dos mercados financeiros.

 

A fabricante de câmeras e equipamentos médicos caiu em desgraça e corre o risco de ver suas ações excluídas da bolsa, e está sendo investigada pela polícia e pelas autoridades regulatórias, depois de admitir esta semana que vem ocultando prejuízos há décadas, e que utilizou pagamentos por fusões e aquisições como forma de ajudar a ocultar o rombo.

 

O jornal Nikkei informou que o valor acobertado pode ter atingido os 130 bilhões de ienes (1,68 bilhão de dólares), em seu momento de pico, e acrescentou que era provável que os credores insistissem em alterar as condições de seus empréstimos.

 

Mais detalhes em: Olympus:Credores pressionam e ações podem ser excluídas da bolsa

Anúncios